…études pour le plaisir…

estudos 2017-08-27 13.55.59

Lavis, 2017. …. études pour le plaisir ….

… Drink up baby, look at the stars
I’ll kiss you again between the bars
Where I’m seeing you there with your hands in the air
Waiting to finally be caught … (Between The Bars –
Elliott Smith)

Anúncios

Montagem da exposição: Feminino no Infinito

Montagem da exposição: Feminino no Infinito .
∞ .
Vemm!!! Dia 23/09/2017 – das 16hs às 21:00hs.
Local: Teatro da Garagem
Rua Silveira Rodrigues, 331 A
São Paulo

Exposicão individual no evento: Feminino no Infinito ∞

O Feminino no Infinito no Teatro Garagem apresenta:

Exposição de aquarelas, desenho e gravura de Angelita Cardoso. Curadoria Eduardo Estrela
+
Sarau de poesia e música com o Coletivo Senhoras Obscenas, com participação e leituras das poetas: Giselle Vianna, Claire Marie Regina, Graziela Brum, Marlene Araújo e Paula Valéria Andrade.
+
Peça “O Bote da Loba” com Anette Naiman e Ana Rita Abdalla. Direção: Marcos Loureiro.

Data do Evento (Exposição, Sarau, Peça):
23/09/2017 – das 16hs às 21:00hs.
Local: Teatro da Garagem
Rua Silveira Rodrigues, 331 A
São Paulo
Telefone: (11) 3871-3584

Da exposição:
Trabalhando com temas que buscam apreender o feminino, a exposição marca a trajetória da artista que é constituída por uma busca de si mesmo e pela busca do outro, por meio de retratos.

As imagens que Angelita nos oferece são potentes porque são extraídas das entranhas da sua alma feminina ou dos arquétipos que povoam seu imaginário. Carregam também a força própria das obras de arte: as mulheres têm vida nas suas pinturas, estampas, e desenhos.

Nessa exposição os retratos também ganharam corpo – para deixar explícito que a sua busca do “quem somos” passa pela descoberta desse mesmo corpo e do prazer. Com a delicadeza das aquarelas e das gravuras, as mulheres de Angelita afrontam assim os séculos de tabus e interdições que pesam sobre a mulher.

Artista:
Angelita Cardoso é paulistana, historiadora e artista plástica. Trabalha pintura e gravura em metal. Participou de exposições em São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Realizou em 2017 sua primeira individual, com a exposição “Conhece-te a ti mesma” (sobre masturbação feminina) em Florianópolis, SC.

Contato: Angelita Cardoso
instagram: @angelita_cardoso
www.angelitacardoso.com
https://www.facebook.com/angelitacardosoart/

 
Do Sarau
Senhoras Obscenas são todas as mulheres que desde séculos como até hoje em dia, deixam seus próprios medos e preconceitos de lado e lutam por espaço em meio às desigualdades de gênero, principalmente àquelas que almejam uma carreira literária, e sentem desejos de transbordar amores, perceber o cotidiano, de aliviar as cargas emocionais cotidianas e sabem que não devem ser reprimidas. Portanto, expressam livremente nas letras e artes suas inquietações e sensibilidades, no intuito de incentivar outras mulheres em suas inclinações artísticas.

Com a soma da presença de cinco poetas convidadas do coletivo Senhoras Obscenas para leituras e performances (de suas poesias autorais e de poetas como Hilda Hilst, Ana Cristina César, Cora Coralina); e mais as duas atrizes de “O Bote da Loba” e a própria Angelita em leituras, para totalizar oito mulheres reunidas na poesia e nas artes cênicas e visuais. Oito é o número símbolo do infinito. A roda de oito traz “O Feminino no Infinito” nas artes integradas e na poesia. A expressão da mulher nos ciclos da vida.

Contato Senhoras Obscenas: senhorasobscenas@gmail.com
Canal You Tube: https://www.youtube.com/channel/UCEGs4gyM8mXrW7f6lkgfQIw

Da Peça Teatral:
Há 20 anos atrás o grande homem e autor Plínio Marcos, místico visionário escreveu sobre o descaso masculino com a mulher e sua sagrada sexualidade nesta nossa sociedade, cultura, país. Esse texto permaneceu inédito por duas décadas até escolher sua primeira morada: a casa Teatro Garagem, na intimista sala Teatro da Garagem.
“O Bote da Loba” é o nosso grito que reverberará contra a banalidade do gozo que nós mulheres temos tido que engolir à força nos últimos dias, nos últimos séculos… (Anette Naiman)

Serviço:
Local: Teatro da Garagem
Data: 01/09/2017 – 23/09/2017.
Sextas e Sábados: 21:30 (fazer reserva antecipada no email abaixo)
Ingressos: R$40,00 inteira R$20,00 meia
Rua Silveira Rodrigues, 331 A
São Paulo
Telefone: (11) 3871-3584
email: reservas@teatrogaragem.com.br
25 lugares
www.teatrogaragem.com.br

Todos Convidados!!! Vemmm!!!

 

O Feminino no Infinito

 

 

Voluptas

Volúpia

No divino impudor da mocidade,
Nesse êxtase pagão que vence a sorte,
Num frêmito vibrante de ansiedade,
Dou-te o meu corpo prometido à morte!

A sombra entre a mentira e a verdade…
A nuvem que arrastou o vento norte…
– Meu corpo! Trago nele um vinho forte:
Meus beijos de volúpia e de maldade!

Trago dálias vermelhas no regaço…
São os dedos do sol quando te abraço,
Cravados no teu peito como lanças!

E do meu corpo os leves arabescos
Vão-te envolvendo em círculos dantescos
Felinamente, em voluptuosas danças…

Florbela Espanca, in “Charneca em Flor”

Voluptas

Aquarela, 2017

Espelho

Aparte

2017-03-08 19.54.51.jpg

Hoje que seja esta ou aquela,
pouco me importa.
Quero apenas parecer bela,
pois, seja qual for, estou morta.

Já fui loura, já fui morena,
já fui Margarida e Beatriz.
Já fui Maria e Madalena.
Só não pude ser como quis.

Que mal faz, esta cor fingida
do meu cabelo, e do meu rosto,
se tudo é tinta: o mundo, a vida,
o contentamento, o desgosto?

Por fora, serei como queira
a moda, que me vai matando.
Que me levem pele e caveira
ao nada, não me importa quando.

Mas quem viu, tão dilacerados,
olhos, braços e sonhos seus
e morreu pelos seus pecados,
falará com Deus.

Falará, coberta de luzes,
do alto penteado ao rubro artelho.
Porque uns expiram sobre cruzes,
outros, buscando-se no espelho.

(Mulher ao espelho – Cecília Meireles)

O corpo, “lugar de dissolução do eu”, “volume em perpétua pulverização”, traz consigo “em sua vida e em sua morte, em sua força e em sua fraqueza” a inscrição de todos os acontecimentos e conflitos, erros e desejos (Foucault – História da Sexualidade)

Desenho, pastel seco - 50x65 - 2017

Pastel, 2017